O gráfico acima nos permite visualizar duas das desigualdades que marcam historicamente o Brasil: a racial e a regional. Assim, podemos ver que em todos os estados da federação e no Distrito Federal (DF) a expectativa de vida dos negros é consideravelmente menor que a dos brancos. A maior diferença é verificada em Roraima, com 7 anos de expectativa a mais para os brancos. Em Minas Gerais, a diferença é menor, sendo de 3 anos a mais para os brancos.

Quando olhamos para as desigualdades regionais, o contraste é ainda mais evidente: os primeiros lugares do ranking, com as maiores expectativas de vida, são ocupados pelos sete estados que compõem o sul e o sudeste brasileiro, mais o DF, enquanto os estados do norte e do nordeste do país amargam as piores posições. Além disso, o gráfico nos mostra que todos os estados do nordeste e norte vivem, em média, menos do que a média nacional. Já todos do sul e sudeste, mais o DF, ficaram acima da expectativa média brasileira.

Análise feita a partir de gráfico disponível em: https://www.nexojornal.com.br/grafico/2019/06/10/A-expectativa-de-vida-no-Brasil-por-g%C3%AAnero-ra%C3%A7a-ou-cor-e-estado

Autora: Luísa Filizzola Costa Lima [graduanda em Administração Pública na FJP], com coordenação de Bruno Lazzarotti Diniz Costa [professor e pesquisador – FJP]

Deixe uma resposta

Fechar Menu